"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo em preto e branco lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, através das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da canção fascinante de Edith Piaf... Que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"

29.6.18


É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. 
O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem saber ver. 

  Gabriel García Márquez 
(photo Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

27.6.18


Reciclar 

Deixei os restos do nosso amor
num saco de plástico
no armário debaixo do lava-loiça,
não cabiam no caixote do lixo.
E quando levares o lixo,
presta atenção,
não é para caixote azul, verde ou amarelo,
é para o cinzento, lixo doméstico comum,
indiferenciado, o nosso amor acabado,
e o carro passa às segundas, quartas e sextas.

  Raquel Serejo Martins 
(photo Kay Kendall)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

20.6.18


 Não te esqueças de, 
ao sair, 
deixar a porta 
aberta. Podes 
perder a chave 
e não entrar. 
Ou podem roubar-ta, 
o que é pior. 
Porque são numerosos 
os ladrões do azul.

 Albano Martins 
(photo Humphrey Bogart)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

17.6.18


Outono 

Outono me faz lembrar que
mudo as minhas folhas, mas nunca
as minhas raízes.
Que passo por estações,
mas deixo as minhas sementes.
Que o vento que me balança
também espalha o meu perfume.

 Joelma Rocha 
(photo Bette Davis)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

13.6.18


 Todos os dias digo, sussurrando,
mantém o equilíbrio. Tudo espreita,
tudo assusta, a vida inteira pende-te
de um frágil fio e de uma sorte injusta.
A tua vontade não pode muito.
Não percas pé. Mantém o equilíbrio.

 Amalia Bautista
(photo Marina Berti)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

5.6.18


Talvez o que eu preciso seja justamente não precisar, sem me sentir menos inteira por isso. Hoje, enxergo com mais sensibilidade o que 
(e quem) merece o meu olhar, a minha entrega, 
o meu amor maiúsculo. 

  Bibiana Benites
(photo Ina Claire)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

4.6.18


Moça de Xiangyi 

As folhas de ácer
Estão tontas com as cores do outono
As ondulações no límpido riacho
Dedilham as cordas da noite
Instantes de felicidade nunca voltam
Os anos passam
Na chuva e no vento
Sem que qualquer notícia dele
Chegue até mim.

Shi Bo 
(photo Nancy Kwan)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

31.5.18


(...)
 Já não se pode fumar em nenhum lado. O desamor é bem mais devastador, e no entanto não é proibido. 

  Pedro Paixão
(photo Madge Bellamy)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

30.5.18


 Não ter morada 
habitar 
como um beijo 
entre os lábios 
fingir-se ausente 
e suspirar 
(o meu corpo 
não se reconhece na espera) 
percorrer com um só gesto 
o teu corpo 
e beber toda a ternura 
para refazer 
o rosto em que desapareces 
o abraço em que desobedeces 

 Mia Couto
(photo Natalie Wood & James Dean)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

27.5.18


Sou feliz só por preguiça. A infelicidade dá uma trabalheira pior que a doença: é preciso entrar e sair dela, afastar os que nos querem consolar, aceitar pêsames por uma porção de alma que nem chegou a falecer. 

  Mia Couto 
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

24.5.18


Silêncio interno

É que tem gente que não sabe viver em paz. Não se deixa em paz. Não se permite experimentar a calmaria. Precisa de um duelo, qualquer que seja, pra se sentir viva, ativa, operante. É que tem gente que morre de medo de si mesmo. Por isso, o contato com o outro, a atenção do outro, ainda que por meio de muita confusão, faz o ruído necessário para que a pessoa não se ouça. Ela possui medo do que seu silêncio interno tem a dizer.

  Cláudia Dornelles 
(photo Joan Crawford)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

23.5.18


A alma é invisível, um anjo é invisível, o vento é invisível, o pensamento é invisível, e, no entanto, com delicadeza, se pode enxergar a alma, se pode adivinhar o anjo, se pode sentir o vento, se pode mudar o mundo com alguns pensamentos.

  Roseana Murray 
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

18.5.18


 Ninguém me canta
Como você
Ninguém me encanta
Como você
Nem me vê
Do jeito
Que só você
Me vê... 

Alice Ruiz 
(photo Anita Page e William Haines)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

11.5.18


uma pedra 

pus-me a escrever um poema que
fosse tal e qual uma pedra e
acertasse sempre no que
eu bem quisesse
se parti alguma coisa, pois
não faço ideia
o que garanto é que
não fui multada
até recebi direitos de autor
ainda que injustamente
a pedra era obviamente um plágio
quanto ao poema, quem sabe

 Bénédicte Houart
(photo Mary Pickford)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

10.5.18


Eu devo reconhecer que ninguém me conhece. Não realmente. Os que mais sabem não sabem da metade. Não deixo todos os segredos escaparem de mim, não mesmo. Uma delicadeza com os outros, eu diria, pois não quero assustar as pessoas com meu passado. Em especial aquelas que continuaram gostando de mim após o pouco que souberam. Mesmo porque aquela, que fez aquilo, não está mais aqui. Eu sou literalmente outra. 

  Fernanda Young
(photo Kim Novak)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

8.5.18


Nem vem tirar meu riso frouxo com algum conselho que hoje eu passei batom vermelho. 

  Mallu Magalhães 
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

7.5.18


Violinos em festa

Há uma quietude no ar,
há rouxinóis perdidos
e a carícia que é sentida...

Que doce melancolia!

Há emoções,
violinos em magia,

É poesia
plena de paixão!

Alvina Tzovenos
(photo Charles Chaplin)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

3.5.18


 O peso que
se carrega 
nos ombros
nem sempre é maior
que a pressão
que aperta o peito
A voz que não
se ouve
Nem sempre é
tão surda
que não se perceba
O grito que não
se solta
nem sempre 
é tão mudo 
que não se 
faça ouvir

Douglas Bunder
(photo Faith Celli)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

27.4.18


Quando o cinza de um dia taciturno bate dentro da gente, sentimos uma dor gostosa, como a melodia dos poetas. Num instante sentimos um prazer calmo e solene. Se isso ocorrer com você um dia qualquer, não faça por menos, curta esse dia minuto a minuto, não se envergonhe, nada é ruim se você se enquadra na sua felicidade. 
Calce a poesia e ande. 

  Paulo Baleki 
(photo Loretta Young)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

25.4.18


 (...)recordo-te a respirar ali

a casa no silêncio

o silêncio em ti

tu em mim

e depois não me lembro de mais nada.

 Sarah Adamopoulos 
(photo Ann-Margret)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

24.4.18


Me encante 

Me encante sem dizer nada, ou até dizendo tudo.
Sorrindo ou chorando. Triste ou alegre…
Mas, me encante de verdade, com vontade…

Que depois, eu te confesso que me apaixonei,
E prometo te encantar por todos os dias…
Pelo resto das nossas vidas!

  Silvana Duboc
(photo Charlie Chaplin and Virginia Cherrill)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

23.4.18


Ao primeiro acorde, Helena fechou os olhos e inspirou profundamente. Teve vontade de lhe telefonar, mas faltou-lhe a coragem de regressar ao passado. Voltou à pista de dança e sorriu.

  a costureira triste
(photo Ginger Rogers)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

22.4.18


 que troço esquisito
que começa com para sempre
atravessa até que a morte nos separe
e termina com preferia nunca ter te conhecido? 

Estrela Leminski 
(photo Helen Twelvtrees and Robert Ames)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

20.4.18


materiais para confecção de um espanador de tristezas

tinha aprendido que era muito importante criar desobjectos. certa tarde, envolto em tristezas, quis recusar o cinzento. não munido de nenhum artefacto alegre, inventei um espanador de tristezas. era de difícil manejo – mas funcionava.

  ondjaki 
(photo Greta Garbo)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

18.4.18


O espelho é uma maravilhosa testemunha, variando sem cessar. Depõe com calma, com força, mas quando acabou de falar, nota-se que ele se corrige acerca de tudo. É a personificação corrente da verdade.
 
  André Breton e Paul Éluard
(photo Brigitte Bardot)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

17.4.18


Espera 

Ainda não chegaste
E já não vens…
E a noite fala-me de ti
Sem te saber,
Procuro no silêncio
Alguma voz 
Para as palavras 
Que ficaram por dizer.
Amanhã, ao acordar,
Serei só minha, 
Sem esperas nem procuras
Apenas eu!
Hoje, deixa-me ser tua
Enquanto é sonho.
Chamar assim por ti,
Sem seres meu!

 Ana Homem de Albergaria 
(photo Joan Collins)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

15.4.18


Vou pôr um anúncio obsceno no diário pedindo carne fresca pouco atlética e nobres sentimentos de paixão. Desejo um ser, como dizer, humano. 
Que por acaso me descubra a boca e tenha como eu fendidos cascos bífida língua azul e insolentes maneiras de cantar dentro de água. 
Vou querer que me ame e abandone com igual e serena concisão e faça do encontro relatório ou poema que conste do sumário nas escolas ali além das pontes. E espero ao telefone que me digam se sou feliz, real, ou simplesmente uma espuma de cinza em muitas mãos. 

  António Franco Alexandre
(photo Yvonne Romain)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

12.4.18


Eu sou antiquada e penso que ler livros é o passatempo mais glorioso que a humanidade alguma vez inventou. 

  Wislawa Szymborska 
(photo Brigitte Bardot)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

11.4.18


O gosto da vida 

Sinto que a minha mocidade
refloresce.

Desejo aquele vinho
que me dá calor e alegria...
Quero vinho...

Dizes que é amargo?
Não importa.
Tem o gosto da vida.

Omar Kháyyám
(photo Tallulah Bankhead)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

10.4.18


Que disseram eles na primeira vez que estiveram sozinhos na mesma divisão? Que disse ele quando ela tirou o véu e ele pode ver que ela não era uma voz mas um corpo e por isso finito? Que disse ela quando ela descobriu que tinha deixado um quarto trancado por outro? Falaram de amor, naturalmente, mas isso não os manteve ocupados para sempre. 

  Margaret Atwood 
(photo Ida Lupino)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

9.4.18


Mas sendo ela minha alma gêmea, eu a conhecia muito bem. Quando você ama uma pessoa mais do que todas as outras, você sabe tudo o que há para saber sobre ela. 

  Orhan Pamuk
(photo Suzanne Pleshette & Troy Donahue)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

6.4.18


 olho
com olhos de
não ver
e vejo
o que só assim
posso ver
depois fecho
os olhos e
continuo
a ver o que
só assim pode
ser visto
e sei então
o que já antes
sabia
ver é sempre
uma forma de
cegueira

 Luís Ene
(photo Greta Garbo)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

31.3.18


Falo deste quarto excessivo, o teu rosto iluminado por dentro do espelho, o sofá de plástico recostado na memória, a cadeira partida, um anel esquecido entre as poeiras do amor. E também o armário onde dormem, ainda, as roupas, as viagens,as cartas e todos os sapatos de todos os percursos acumulados no tapete, o candeeiro do tecto sobrevoando a terra despida dos nossos corpos. E, depois, a cama de casal, por assim dizer, ineficaz, a cama estreita de prazer e, entre as duas, o esqueleto do mar. O copo vazio. Falo, portanto, do silêncio deste quarto. 

  Mia 
(photo Herbert Marshall & Kay Francis)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

30.3.18


 São os dedos 
que tocam
 as flores, ou são estas 
que delicadamente pedem
 às mãos
 um gesto
 de caricia?

Albano Martins 
(photo Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

29.3.18


Ando feliz da vida. Cansada demais, mas feliz. Eu tô aqui pra ser feliz. Pra viver a minha vida. Pra conhecer o mundo e as pessoas. Não quero perder tempo. Tenho pressa. Tenho fome de afeto. Sede de carinho. Vontade de fazer. E viver. Mesmo que nem todos os dias tenham céu azul. 

  Clarissa Corrêa
(photo Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

28.3.18


Acreditei que o beijo, enquanto linguagem universal, deveria conter todas as palavras que precisavam ser ditas. 
Beijei-o para não ter que falar.

  João Morgado 
(photo Tony Curtis & Janet Leigh)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

27.3.18


Entretanto 

Sei a linguagem dos teus olhos,
aves de poiso vacilante,
sem gavinhas galgando
o muro dos dias.

Tudo é incerto e veloz,
nada garante nada,
mas entretanto esses olhos
iluminam-me a casa.

Torquato da Luz 
(photo Alain Delon & Romy Schneider)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

26.3.18


Penúltima vivência 

quero só
o silêncio da vela.
o afogar-me
na temperatura
da cera
quero só
o silêncio de volta:
infinituar-me
em poros que hajam
num chão de ser cera.

Ondjaki 
(photo Ava Gardner)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

25.3.18


 A cama de ferro 
É o vão que resta 
E o calor que resta... 
Resta, resta. 
Para cama e dormir 
E sem lágrimas escorrem 
Os segundos informes 
Minutos horas 
E você nunca 
Os pingos da chuva choram 
E você nunca 
E tic-tic 
tic-tic 
passam as horas.

Sylvia Plath 
(photo Elizabeth Taylor)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

24.3.18


Deveria ter brigado mais, respondido as agressões, sangrado mais, esperneando e puxado os cabelos. Gritado palavrões, e socado o ar. No acúmulo da poeira, as gavetas trincaram.

  Fabrício Carpinejar
(photo Leslie Caron)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

22.3.18


descubro agora que o Outono se veste de muitas cores… descubro-me também a mim com outras cores... afinal talvez eu seja Outono; e eu que sempre me pensei Verão... 

  Fátima Prosa
(photo Bette Davis)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

18.3.18


Baloiço

Passaram os anos, mas a memória ficou no tal coração que com amor me transformou; 
Perdida nos sonhos, balançava por um futuro melhor, usar esse balançar como um fim para toda a dor; 
Cantar enquanto sentia o vento puxar o meu cabelo e lançar a voz ao ar como um apelo; 
Abstrair-me de tudo aquilo que me rodeava enquanto que o sol o fim do dia anunciava; 
Apreciar cada balanço como uma ascensão e ir crescendo na pressa de queimar a solidão; Imaginar os meus dedos a romper o manto azul do céu, receber de braços erguidos aquilo que a vida me deu. 
Esticar as pernas numa tentativa de voar para um mundo diferente onde conseguisse aceitar o que a realidade tem de duro para me dar; 
Será sempre uma tentativa de limpa-lágrimas o fugir à dolorosa monotonia diária; 
O acto de ascender as pernas bem esticadas e sem medo, a força feita com as mãos nas cordas já desgastas pintado o chão com pegadas abstractas. 
Mostro e digo a simplicidade com que ouço, escrevo então a simplicidade de andar de baloiço. 

  Sónia Oliveira Fonseca
(photo Joan Leslie)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

16.3.18


não me apetece dizer nada
não vou dizer nada
não quero dizer nada

(à parte isso tenho em mim todas as palavras do mundo)

 daniel gonçalves 
(photo Sophia Loren)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

13.3.18


Uma canção 

Uma canção
em casa grito
de agonia

Uma flor
em cada sonho
violado

Um painel
em cada aurora
ensanguentada

Um poema
em cada gota de sangue
derramada. 

António Mendes Cardoso
(photo Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

12.3.18


Talvez não seja 

talvez não seja sempre assim; e digo eu
que se os teus lábios tão amados tocarem
os de outro, e os teus dedos firmes agarrarem
o seu coração, como não há muito tempo o meu;
se num outro rosto repousar o teu cabelo querido
naquele silêncio que conheço, ou no dizer
de palavras trémulas que por demasiado falarem
ficam indefesas perante o espírito constrangido;

se tiver que ser, eu digo se assim for
tu que és do meu coração, manda-me avisar;
para que eu possa ir até ele, pegar-lhe na mão,
e dizer, recebe de mim a felicidade do amor.
depois hei-de voltar o rosto, e ouvir um pássaro cantar terrivelmente longe em terras de solidão.

 E. E. Cummings 
(trad. Maria da Graça Braga) 
(photo Pierre Barouh & Anouk Aimée)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

8.3.18


Epitáfio 

O canto desse menino
talvez tenha sido em vão.
Mas ele fez o que pôde.
Fez sobretudo o que sempre
lhe mandava o coração.

 Thiago de Mello
(photo Freddie Bartholomew)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

7.3.18


Os dois eus e a solidão

Em mim
a solidão
é já uma pessoa.

Onde
a um eu que não chora
um meu outro eu
chora tudo
pelos três. 

 José Craveirinha 
(photo Marceline Day)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

6.3.18


Em vez de lágrimas

Só um choro em seco
põe no vértice da minha dor
o mais intenso
auge do luto.

José Craveirinha
(photo Lily Elsie)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

5.3.18


 As lágrimas
são locais de olhar por dentro
e enquanto espero que os verbos
sequem
poucas palavras me restam para dizer
que só a sombra tem corpo
e em frases soltas
crescem-me pássaros no reverso dos olhos.

 Maria Sousa 
(photo Ingrid Bergman)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

4.3.18


Não sei 

o galo canta
o sol desponta
o dia nasce

tudo parece 
tão previsível
nada me espanta

mesmos barulhos
cotidianos
anos a fio

o galo canta
mesma cantiga
acordando a vida...

apenas eu
continuo
(bela) adormecida.

Lisieux
(photo Joan Collins)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨