"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo em preto e branco lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, através das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da canção fascinante de Edith Piaf... Que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"


17.12.17


A cada palavra que te digo, surpreendo-me. 
E sinto por mim o desprezo que deveria ser teu. Odeio-me. Mas não consigo parar de falar, forço-me a continuar. Porque sei: quando parar, restará apenas o silêncio. Nada mais nos unirá. Na verdade, estas palavras são tudo o que temos, o que ainda nos une, a nossa única possibilidade. Nada mais existe, nada mais somos. 
Apenas palavras. 

  Paulo Kellerman
(photo Georg Wilhelm Pabst & Louise Brooks)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

14.12.17


Não ando na rua. 
Ando no mundo da lua, 
falando às estrelas. 

  Helena Kolody
(photo Hedy Lamarr)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

8.12.17


Rebeldia 

 Soltem-me as algemas
 Quero a minha alma livre
 meu corpo livre
 meu pensamento livre 

 Esbofetear o mundo 
 e cuspir na vida. 

  Manuela Amaral 
(photo Katharine Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

4.12.17


Constatação

Constato a solidão,
inteira, completa,
que, por desleixo,
nunca havia notado,
embora ela sempre
tenha sido minha
mais fiel companheira.

Alfredo Rangel
(photo Olivia de Havilland)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

30.11.17


Xeque mate 

Caem-lhe as peças de xadrez do tabuleiro derrubadas por movimentos mal calculados. Ouvem-se no andar de baixo a embaterem no soalho e calarem-se num som trémulo, quase um lamento. Ele apanha-as e volta a colocá-las nos lugares de que se lembra. Sabe que erra os lugares, principalmente quando cai mais do que uma peça. Sabe também que não importa. Como não importa quem ganha ou quem perde, ele ou o outro que com a sua mão joga do outro lado. Importante é não parar de jogar.

Cansar a noite, cumprir a vida, deitar-se para amanhã recomeçar.

 Jorge Roque
(photo James Dean)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

28.11.17


Metade 

O que se vê em mim
não é o todo:
escondo gestos.
O que se sabe de mim
(ainda) não é tudo:
escondo datas
Metade que nem eu mesmo sei
mais corrói do que vive e cresce:
e silenciosamente é uma doença
(e não me esquece).

Convivo como caça e caçador
dentro de mim:
uma hora me acho
a outra não me aceita
e sou metade do rosto desenhada
a outra metade desfeita.

 Nirton Venancio 
(photo Sylvia Sydney)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

23.11.17


Oração da dança

Louvada seja a dança
porque ela liberta o homem
do peso das coisas materiais,
e une os solitários
para formar sociedade.

Louvada seja a dança,
que tudo exige e fortalece,
saúde, mente serena 
e uma alma encantada.

A dança significa transformar
o espaço, o tempo e a pessoa,
que sempre corre perigo
de se desfazer e ser ou somente cérebro, 
ou só vontade ou só sentimento.

A dança porém exige
o ser humano inteiro
ancorado no seu centro,
e que não conhece 
a vontade de dominar
gente ou coisas, e que não sente
a obsessão de estar perdido 
no seu próprio ser.

A dança exige o homem livre e aberto
vibrando na harmonia de todas as forças.

Ó homem, ó mulher, aprenda a dançar
senão os anjos do céu
não saberão o que fazer contigo.

Augustinus (Santo Agostinho) 
(photo Ginger Rogers & Fred Astaire)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

22.11.17


clarice

quando saio de mim
por aí
encontro
o outro
eu, e os outros
eus,
including clouds

 Karina Rabinovitz
(photo Vivien Leigh

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

21.11.17


Numa tarde nublada de Novembro

Eu desmaio e perco os pés,
mas tu já sabes.

Então, abro os olhos
e te sorrio.

Os dias não mudam mais,
mas o calendário avança
e eu sei.

A tarde, tu perguntas
se estou bem;
A noite, tu me vês.

Tu sabes, da varanda
as nuvens encharcadas
alcançam o outro lado
do espelho.

As horas crescem.

E tudo isto faz dos teus cabelos
uma lembrança terrível, para onde
eu espero que este vento me carregue.

Victor Prado 
(photo Louise Brooks & Michael von Newlinsky)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

20.11.17


Envelhecer

Antes, todos os caminhos iam.
Agora todos os caminhos vêm.
A casa é acolhedora, os livros poucos. 
E eu mesmo preparo o chá para os fantasmas. 

  Mário Quintana 
(photo Bette Davis)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

18.11.17


Tu eras o vento 

Sou um barco
sem vento.
Tu eras o vento.
Era esse o rumo que eu devia seguir?
A quem importa o rumo
com um vento assim!

 Olav H. Hange 
(photo Marcello Mastroianni)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

17.11.17


Cantos para Helena (XXII)

De todas as suas roupas, Helena
guardei as que não me serviriam
as que trariam, perpetuado
o desenho do teu corpo

as verdadeiras heranças
não são moedas de cobre

são mantos tecidos
entre os nós dos seus dedos
 - as pequenas colchas de retalhos
que nos cobrem

 Andrea de Godoy Neto
(photo Bobby Breen and Louise Beavers)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

14.11.17


Absurdo! 

O meu coração é um absurdo
bate forte
bate fraco
bate surdo-mudo
bate por nada
bate em vão
bate por tudo
o meu coração...

 Itamar Assumpção
(photo Dolores Costello) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

12.11.17


Sem minha mãe, acho que jamais teria me saído bem na pantomima. Ela possuía a mímica mais notável que já vi. Às vezes, ficava durante horas à janela olhando para a rua e reproduzindo com as mãos, os olhos e a expressão de sua fisionomia tudo o que se passava lá em baixo. E foi observando-a assim que eu aprendi não somente a traduzir as emoções com as minhas mãos e meu rosto, mas sobretudo a estudar o homem… 

  Charles Chaplin
(video Metamorphosis of Charlie Chaplin) 

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

11.11.17


Fuga 

Era noite e o céu estava em mim.

Quando olhei para dentro de mim mesmo
-só vi o rasto de meu próprio espírito,
só ouvi o eco de meus passos perdidos. . .

Aonde fui que não me lembro?

 Christovam Colombo de Souza 
(photo Frank Sinatra)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

10.11.17


Eu leria Drummond ao teu ouvido

olha...
quem sabe eu possa ser mais chão
menos vastidão
quem sabe tu possas ser mais asas
menos casa

e, então, eu convido
tua língua a me provar em grego
enquanto leio Drummond ao teu ouvido

Andrea De Godoy Neto
(photo Kirk Douglas & Lauren Bacall)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

8.11.17


A minha memória não é uma fonte de sofrimento. Certas partes são como uma loja de penhores, outras como um aquário, outras como uma despensa. Julgo que há um sítio onde a memória se distorce como as imagens nos espelhos de feira e é essa a área que mais me interessa. 

  Tom Waits
(photo Carole Lombard)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

7.11.17


Me dê as flores em vida; o carinho, a mão amiga, para aliviar meus ais. Depois que eu me chamar saudade, não preciso de vaidade, quero preces e nada mais. 

  Guilherme de Brito
(photo Buster Keaton)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

6.11.17


As rosas 

 Quando à noite desfolho e trinco as rosas 
É como se prendesse entre os meus dentes 
Todo o luar das noites transparentes, 
Todo o fulgor das tardes luminosas, 
O vento bailador das Primaveras, 
A doçura amarga dos poentes, 
E a exaltação de todas as esperas. 

  Sophia de Mello Breyner Andresen 
(photo Lily Elsie)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

5.11.17


Velho retrato 

Ah... aquela imagem difusa,
quase apagada, quase esquecida,
teus olhos quase sombrios,
o sorriso ainda claro,
o mistério, eterno,
tão presente.

Ah... aquela falsa realidade,
aquela ausente presença,
hoje,
só um borrão...

Alfredo Rangel
(photo unknown)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

4.11.17


tristeza 

fosse apenas saudade não
seria a
cama tão fria nem tão
curtas as
madrugadas

esta dor pelo corpo
inteiro sem começo nem
fim

 Adair Carvalhais Júnior
(photo Pola Negri)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

3.11.17


é um tempo de cinza, este que vivo sem ti. é um tempo nulo, este que atravessa os dias de espera. tempo de cardos no coração. tempo que se amachuca numa folha de papel escrita. nada, a não ser a respiração que acredito ser minha. 
o mundo desfaz-se apressadamente. 

  Al Berto
(photo Buster Keaton)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

2.11.17


Sem ti

Se te contarem que me viram muito bêbado,
não é por ti.
(por ti embriago-me belo,
depois do vinho escrevo versos sobre a liberdade
e de noite,
canto, e todo deserto fica longe)
Orgulhosamente
diz-lhes que é
sem ti.

 Ana María Oviedo Palomares
(photo Marlon Brando)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

1.11.17


Cortar o cabelo

Esta é a melhor altura do ano para cortar o cabelo – profere Sandy, remexendo com a ponta dos dedos alguns fiozinhos na testa. A porra da lua atrai as marés, cria tsunamis, invade o Japão, provoca uma crise nuclear, porque é que não haveria de fazer crescer o cabelo? 

  Golgona Anghel 
(gif Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

28.10.17


Antes que 

Preciso ler um bom poema antes
de dormir
antes que a noite encerre o
diário inventário das lembranças
antes que o sono cale a boca e olhar,
antes que o prumo caia
horizontal.
Preciso ler um bom poema antes
que seja tarde
que fique escuro
que chegue o frio.
Ler um bom poema
antes que a morte venha
e escreva o seu.

 Marina Colasanti 
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

27.10.17


Quem sou 

Queres saber quem eu sou?
desabotoa-me o casaco,
desaperta-me o vestido,
desfaz-me o nó do atilho,
desce-me o fecho da nuvem,
desnuda-me o céu do peito,
experimenta o caudal perfeito,
a corrente acidentada do gemido
e da mão dada, ou da boca esfomeada
que se adentra no começo do paraíso perdido.

 Margarida Afonso Henriques
(photo Yvonne Decarlo)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

26.10.17


Atravesso o presente de olhos vendados, mal podendo pressentir aquilo que estou vivendo... 
Só mais tarde, quando a venda é retirada, percebo o que foi vivido e compreendo o sentido do que se passou... 

  Milan Kundera
(photo Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

25.10.17


 
Se você quiser eu danço com você
Meu nome é nuvem
Pó, poeira, movimento
O meu nome é nuvem
Ventania, flor de vento
Eu danço com você o que você dançar

Se você deixar o coração bater sem medo...

Lô Borges
(photo Marge & Gower Champion)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

24.10.17


Vens ou ficas?

Vens ou ficas
Esta cidade é só nossa.
E a noite pede-nos um corpo
Para continuar a viver.

Se vieres, vou esperar-te a estação.
Trarás contigo a razão
Quem te ouve e quem te vê.

O encontro será apenas o momento
No interior do pensamento
Onde tudo se resolve.

Os segredos são o centro de um incêndio
Que arde com o silêncio
Como outra noite qualquer.

Se me ouves, se recusas as palavras,
Transformamo-nos em nada,
Quase deixamos de ser.

E as horas que se despedem devagar
Que se afastam de ficar
Que se aproximam de morrer.

O que fomos passa por nós na avenida,
É um pedaço da nossa vida 
Que ainda quer sobreviver.

Vens ou ficas
Eu vou estar a tua espera 
Por mais que a força não queira

Seremos dois a decidir.

 João Pedro Pais 
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

22.10.17


Perdido

Entrei numa livraria. Pus-me a contar os livros que há para ler e os anos que terei de vida. Não chegam, não duro nem para metade da livraria. Deve haver certamente outras maneiras de se salvar uma pessoa, senão estarei perdido.

  Almada Negreiros 
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

21.10.17


Lamentos de outono

Eu suspiro para mim mesma. 
Paixão demais traz sofrimento. 
Tanto vento e lua no pátio, 
que se enche de outono. 
O guarda marca horas no tambor 
bem debaixo de minha janela. 
Noites e noites com a candeia acesa, 
meus cabelos quase brancos. 

 Yu Suanji 
(photo Anna May Wong)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

20.10.17


Vestido 

El mejor vestido para mi cuerpo
es tu cuerpo desnudo.
El mejor vestido para tu cuerpo
es mi cuerpo desnudo.

Vestido así
no tengo ganas de desnudarme
nunca.

Jorge Riechman
(photo Maria Félix)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

19.10.17


Passava todos os dias pela mesma margarida. No começo a admirava com olhos encantados, mas com o tempo, o amarelo da flor se tornou comum. Deixou de percebê-lo. Não foi a cor, entretanto, que desbotou. Eram os olhos que haviam apagado. Cuide para a rotina não te descolorir! 

  Lucas Lujan
(photo Brigitte Bardot)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

18.10.17


Abro o jogo! 
Só não conto os fatos de minha vida: sou secreta 
por natureza. Há verdades que nem a Deus eu 
contei. E nem a mim mesma. Sou um segredo fechado a sete chaves. Por favor me poupem. 

  Clarice Lispector
(photo Brigitte Bardot)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

17.10.17

Amigos e visitantes de passagem por esse meu mundo em preto e branco, agora o blog poderá ser visto no Facebook. Aguardo sua visita!



¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

16.10.17


Ritmos 

Danço...
Quando cai chuva,
Quando o céu fica fechado
Quando há tempestades
Quando tudo é caos
É o ritmo da vida
Por isso... danço

Leslie Holanda 
(photo Arlene Dahl)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

13.10.17


Diálogo mudo

olho o mar

é um diálogo mudo 
tão fecundo 
que se confunde 
com o mundo 
meu mundo 
me entranha 
estranho 
diálogo mudo 
mundo 
em que me fundo

 Rui de Morais
(photo Grace Kelly)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

11.10.17


Tempo

Sei de um recanto 
na margem da ribeira 
onde à tarde me sento 
e fico só olhando 
o lento passar do tempo 
ao som dos pássaros 
e da água corrente

 Isabel Solano 
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

10.10.17


Ponto de suspensão 

O homem do violino 
toca à porta do mercado. 
Transporta a gente que passa 
ao som de outro destino. 
Volteia o arco nas cordas, 
acorda o povo que dorme 
e que vem saciar a fome 
de outras frases, musicais. 
Pára o tempo, 
cessa a máquina da urbe. 
Tudo fica suspenso, 
tudo.

  Isabel Solano
(gif Charlie Chaplin)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

9.10.17


Você diz que ama a chuva, mas você abre seu guarda-chuva quando chove. Você diz que ama o sol, mas você procura um ponto de sombra quando o sol brilha. Você diz que ama o vento, mas você fecha as janelas quando o vento sopra. É por isso que eu tenho medo. Você também diz que me ama. 

  William Shakespeare
(photo Leila Hyams)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

5.10.17


Nessa cena

Imensa saudade. E nunca seremos personagens de qualquer nouvelle vague. Jamais sumiremos de madrugada, fugidos de casa; jamais. Sonho em preto e branco, e a lua prateada mata, e a água do lago, e o meu cabelo solto e tua camisa larga, tudo, tudo naufraga. Imensa saudade: eu nascer de novo, na madrugada, ao te ver, após muitas vezes ter visto sem perceber; mon'amour em Dijon: sinto tua boca descer e me levar ao mundo maior; uma pena não entrares nessa cena. Eu só. 

  Ângela Vilma
(photo Jean-Marc Bory & Jeanne Moreau)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

4.10.17


Carne imortal

Eu tenho horror da morte.
Mas às vezes, quando penso
que sob a terra hei-de tornar-me
alimento de raízes,
seiva que subirá por caules frescos,
grande árvore que centuplique talvez
a minha pequena estatura,
digo: – Meu corpo:
és imortal.
E toco com prazer
coxas e seios,
o cabelo e as costas,
pensando: Acaso apalpo
os ramos de um cedro,
as palhas de um ninho,
a terra de um sulco
tépido como carne feminina?
E extasiada murmuro:
– Corpo meu: és feito
de substância imortal!

 Juana de Ibarbourou
(trad. Soledade Santos)
 (photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

3.10.17


Às vezes escondo-me no corpo e ninguém me vê. As pessoas falam comigo e não notam que eu não falo com elas. Posso até dizer algumas palavras, posso até exprimir-me num longo discurso, mas a verdade é que não falo com elas. Estou escondido algures no meio do meu corpo.
 (...) 

  Gonçalo M. Tavares 
(photo Sharon Tate)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

2.10.17


Às vezes me vejo sem rumo, mas me lembro do quanto gosto de mim e me faço minha companhia mais perfeita. Nem me trato tão bem, mas relevo-me. Nem me amo tanto, 
mas atenuo- me. 

Entre erros e acertos, alegrias e tristezas eu vou. Sou-me fiel, e meus erros contam sempre com meu sorriso de compreensão. Nessa jornada caminho comigo. Vez por outra tropeço num amor... 

  Gilson Froelich 
(photo Marlene Dietrich)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

1.10.17


Senhor
 A gaiola se tornou pássaro 
 e devorou minhas esperanças. 

 Senhor 
A gaiola se tornou pássaro 
 que farei com o medo. 

  Alejandra Pizarnik
(photo Louise Brooks)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

30.9.17


Força, autenticidade e poder de uma mulher não estão nas suas roupas, fotos, caras e bocas; sua beleza e sensualidade não se resumem a um traje da moda, em quantos homens seduzem, nem por generosos decotes. O poder de uma mulher vem de dentro, a química está no seu olhar e a magia que seduz, atrai e encanta está na simples forma de ser ela mesma na mais profunda verdade de seu ser. 

  Carolina Salcides
(photo Anna Karina)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

28.9.17


Momentos

Finjo que estás
presente... e me habitas,
como quem sente
esta saudade
em mim...

Finjo que me
abraças... e me envolves,
como quem sonha
um arco-iris
distante...

Finjo que não sei,
o que já sei,
só não finjo
esta saudade
que me habita e me envolve!

 Luz Lopes
(photo Desi Arnaz & Lucille Ball)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

27.9.17


crime passional 

 você eu fui matando aos poucos. um dia depois do outro. bem devagar. deixei de perguntar. deixei de dizer. deixei de avisar. dobrei cobertores, empilhei discos, escondi travesseiros e fotografias. separei o que havia em dupla. livrei-me do que era único. usei as costas de bilhetes essenciais. varri todos os pelos pra debaixo dos lençóis. abafei as minhas vontades com mãos postas em desespero. o telefone se esganando por um fio. fumei páginas e páginas da tua Bíblia. mudei horários. recolhi documentos. mandei recados. voltei aos ovos fritos e às notícias. comecei a passar reto onde fazia curva. fui matando você assim. devagarzinho mesmo. agora você está completamente assassinada. 

  fernando bonassi
(photo Truman Capote)

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

26.9.17


Sou um fanático do excesso. Um doente pelo tudo. Ou então pelo nada. Gosto de sentir o topo e odeio sentir o fundo. Mas se me dessem a escolher entre o fundo e a média altitude eu preferia o fundo. Sem hesitar. Sem pensar duas vezes. Sem sequer pensar. Ou pensavas que não? 

  Pedro Chagas Freitas
(photo Marlon Brando)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

24.9.17


 Gosto de me deitar
sem sono
para ficar
a lembrar-me
das coisas boas
deitada
dentro da cama
às escuras
de olhos fechados
abraçada a mim 

Adília Lopes
(photo Jean Simmons)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

22.9.17


não ser, para existir

entre o perto e o longe. entre o olá e adeus. entre o agora e o nunca. entre ganhar e perder. entre o doce e o amargo. entre acordar e adormecer. entre o sim e o não. entre o beijo e o abraço. entre partir e voltar. entre a luz e a escuridão. entre recordar e esquecer. entre a ficção e a realidade. entre o tudo e o nada. 

 despi o ser e deixei-o pendurado no armário do limbo. o cabide está velho. 

  Josephine 
(photo Louise Brooks)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

20.9.17


Dá-me tua mão 

Dá-me tua mão e dançaremos; 
dá-me tua mão e me amarás. 
Como uma única flor seremos, 
como uma flor, e nada mais.

O mesmo verso cantaremos, 
no mesmo passo bailarás. 
Como uma espiga ondularemos, 
como uma espiga, e nada mais.

Chamas-te Rosa e eu Esperança; 
porém teu nome esquecerás, 
porque seremos uma dança 
sobre a colina, e nada mais...

 Gabriela Mistral 
(photo Paul Newman & Joanne Woodward)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...