"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo em preto e branco lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, através das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da canção fascinante de Edith Piaf... Que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"


30.6.15


Liturgia 

mesmo que seja eu,
no auto-retrato,
à frente do espelho

é no olhar do outro
que determino
a passagem das horas

 Ozias Filho
(photo Yvette Mimieux)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

29.6.15


 Na minha vida, os homens foram como os sapatos.
Tive dois e gastaram-se os dois.

Depois disso, aprendi, por assim dizer, 
a andar descalça.

Salman Rushdi
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

28.6.15


A janela da vida 

Olho,
à janela,
o tempo
que passa
e não espera
ninguém.

Tempo ingrato
Tempo que marca
a vida,
tempo perdido
no tempo,
tempo alegre,
tempo bom.

O tempo
é como o rio:
transporta
a vida
na barquinha
das recordações...

 Delores Pires
(photo Colleen Moore)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

27.6.15


 como dói
esta calma impensada
esta perfeita geometria
esta arquitetura
esta precisão
com que lentamente
constróis
um mundo sem mim

 Javier Galarza
(photo Natalie Kingston)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

26.6.15


Eu só troco a nossa história por uma melhor 

Eu só troco a nossa história por uma melhor.
Por um bando de pássaros que nunca abandone o voo,
Por um jardim onde não morram flores,
Por uma lua que nunca mude de tamanho.

Eu já disse que não troco a nossa história por mais nenhuma?
Talvez a troque por um bonsai no lugar do coração.
Para cuidar com arte. Distraidamente. 

 Marta Vaz
(photo Van Johnson & Elizabeth Taylor) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

25.6.15


Esperando-te

Esperando-te
como quem espera de ti
a liberdade
ou a conquista
de um rasgo de céu
ou de uma aresta
do mundo
ainda por limar.

 Alexandra Malheiros 
(photo Dolores Costello)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

24.6.15


(...) Não tenho nada a ver com o que é dos outros, sejam roupas, gostos, opiniões ou irmãos, não me escalo para histórias que não são minhas, não me envolvo com o que não me envolve, não tomo emprestado nem me empresto. Se é caso sério eu me doo, se é bobagem eu me abstenho, tenho vida própria e suficiente pra lidar, sobra pouco de mim para intromissões no que me é ainda mais estranho do que eu mesma. 

  Martha Medeiros
(photo Virna Lisi)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

23.6.15


Esfinge 

Decifra meu enigma
e toda a verdade,
toda a essência
por trás do verso.

Segue pela trilha do meu corpo
e revela a paisagem escondida.
Repousa sem tédio no meu abraço.
Implora pelo princípio e fim
de cada ato.

Descobre o segredo que habita
onde me esquivo,
onde a pergunta é só disfarce,
reverso.

Se me escondo,
é para devorar melhor.

 Solange Firmino 
(photo Rossano Brazzi & Sophia Loren)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

22.6.15


Arranja-me um coração. Pode ter sido já usado e sem serventia para ninguém, eu não me importo, arranja-me um coração por queimar, um que não tenha ido à guerra e não esteja ferido. Arranja-me um coração a estourar de sonhos, um coração leal que não me fuja do peito, pode ter asas de ouro, tão pesadas que não o deixem voar... Arranja-me um coração inteiro, que só saiba bombear o sangue e que não tenha aprendido a doer. Arranja-me um coração sem labirintos, sem poços profundos onde caiam e se afoguem os sonhos... Um músculo forte e robusto, cor de sangue, cor de vida, arranja-me um coração que não queira ser onda do mar, que não se desfaça na espuma dos dias, no veloz escorrer do tempo... Preciso de um coração... Ou dá-me então o teu... Quando sinto o teu coração bater nas minhas mãos, percebo que caberia inteiro no vazio do meu peito. 

  Ana Paula Mateus 
(photo Lily Elsie)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

21.6.15


Nós 

Conto de fada.
Charada.
Seguem incansáveis,
Uma rainha e seu rei.

Vertigem.

Lampejo.‏

Enigma.
Vulcão.

Era uma vez.
Era uma outra vez,
e outra,e tantas,

Para os nós,
Não há razão.
É amor e poesia então.

Liana Ventura 
(photo Mel Ferrer & Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

20.6.15


Fotografia

Não!
 Não sou eu neste retrato, amigo.
 Esta é a imagem de um outro, 
morto
 há muito. 

  Salete Aguiar
(photo Phillips Holmes)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

19.6.15


Às vezes não sei que idade tenho...

 tenho a vaga ideia de que nasci há séculos... não porque me sinta velha mas porque não sei que sinta... 

 relembram-me a passagem dos anos sob o pretexto de formas... e não sei que forma tenho...

 relembram-me a ideia do tempo e não sei de que tempo falam... 

 relembram-me a morte da vida mas não consigo ter a vida sem morte... (de mim talvez...) 

  sophiarui
(photo Brigitte Bardot)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

18.6.15


Coração, coração, se te perturbam tristezas invencíveis resiste-lhes oferecendo-lhes o peito de frente, e à armadilha do inimigo opõe-te com firmeza. E se saíres vencedor, dissimula, coração, não te envaideças, e se saíres vencido, não te humilhes chorando em casa. Não deixes que importem demasiado as tuas alegrias nos êxitos, e as tuas dores nos fracassos. Entende que na vida prevalece a alternância. 

  Arquíloco de Paros 
(photo Mae Murray)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

17.6.15


Contrário 

Não trago letreiro na testa
nem faixa com mensagem
atravessada no peito. 

Olho no espelho
e não me reconheço. 

Se palavras houvessem,
o espelho diria
tudo ao meu contrário. 

 Adélia Maria Woeliner
(photo Sophia Loren)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

16.6.15


Nudez 

 Ela foi se despindo aos poucos. 
Primeiro as lágrimas, os risos, os silêncios. 
Despenteou os sonhos; alisou as rugas; 
desabotoou os desejos. 
Caminhou lentamente sobre a pele nua 
e desatou toda a dor. 

  Miriam Portela
(photo Blanche Sweet)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

12.6.15


Enfeitada... 

Eu vejo por um par de estrelas
que nunca derramam orvalhos
e falo por uma lua crescente
No peito, tenho um gato dengoso
Na barriga, um canteiro de flores
Pego tudo com 10 raios de sol
No meio das pernas
guardo uma pérola em uma caixinha de prata
Nos meus joelhos, a água é tão cristalina
que enxergo os peixinhos no fundo
Calço sempre a terceira nuvem, 
aquela bem da esquerda
em forma de carrossel
Ah, como o amor me enfeita!

 Wania Victoria 
(photo Louise Brooks)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

11.6.15


Vende-se

Vendo um pedaço de saudade, 
Medindo mil beijos à direita, 
Mil abraços à esquerda, 
Uma partida da frente aos fundos. 

  Gilson Froelich 
 (photo Nancy Carroll)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

10.6.15


eu estou só 
o gato está só 
as árvores estão sós 
 mas não o só da solidão : o só da solistência 

  João Guimarães Rosa
(photo Buster Keaton)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

9.6.15


Bem vindo 

Diz-me se incomodo,
disse ao entrar,
porque me vou imediatamente.

Não apenas incomodas,
respondi,
como pões de pés para o ar toda a minha existência.
Bem vindo.

Eeva Kilpi
(photo Buster Keaton & Sybil Seely )

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

8.6.15


Com as mãos 

Com as mãos
construo
a saudade do teu corpo
onde havia

uma porta,
um jardim suspenso,
um rio,
um cavalo espantado à desfilada.

Com as mãos
descrevo o limiar,
os aromas subtis,
os largos estuários,

as crinas ardentes
fustigando-me o rosto,
a vertigem do apelo nocturno,
o susto.

Com as mãos procuro
(ainda) colher o tempo
de cada movimento
do teu corpo em seu voo.

E por fim destruo
todos os vestígios (com as mãos):
Brusca-
mente.

 Eduíno de Jesus 
(photo Patrick Stewart)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

7.6.15


 éramos três irmãs
morreu uma
a outra ficou 
vou irmanando pelo caminho
somos poucas
somos muitas
não deixamos de ser três

 sophiarui 
(photo Hepburn Sisters; Katharine, Marion and Margaret)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

6.6.15


Final 

Quero acabar como uma gata,
beber leite em tigelas de barro,
comer peixe fresco e fetos.
Quero ser uma gata para me deitar
entre os livros que estás a ler,
deixar pelos meus pela casa toda,
arranhar-te as pernas.
Quero acabar como uma gata,
para que me fales quando estiveres só,
convencido de que nunca te vou compreender,
rasgar-te papéis importantes,
extraviar adornos de valor.
Quero ser uma gata para de noite subir aos telhados
e ouvir-te desesperado a chamar-me:
Miau, miau, miau, miau…

 Zoé Valdéz
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

5.6.15


guardei para ti o mais belo dos vestidos... 
nunca mo despiste... 

  sophiarui
(photo Lisa Fonssagrives) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

4.6.15


Cabelos de Chuva 

 Antes de sair de casa, ela guardava as lágrimas no bolso mais fundo. Depois andava o dia todo a desembrulhar sorrisos abertos e quando lhe fugiam as forças, metia discretamente a mão no bolso e empurrava as lágrimas mais para dentro, sentia-as atravessarem-lhe o tecido da roupa, umedecerem-lhe a pele morna do peito. Com os dedos molhados, ajeitava então os cabelos em desalinho, naquele gesto tão dela que todos lhe conhecíamos, e sorria de novo. Chamavamos-lhe cabelos de chuva. 
Nunca a vimos chorar. Nunca a veremos chorar porque ela partiu hoje, a mulher que guardava as lágrimas no bolso mais fundo. Quando me fui despedir dela, fiquei muito tempo a olhar-lhe os dedos entrelaçados, cruzados sobre o peito finalmente seco de lágrimas. No rosto cadáver, um teimoso ponto de luz iluminava-a toda: o mais belo sorriso aberto que jamais lhe conheci. 

  Ana Paula Mateus
(photo Rita Hayworth)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

3.6.15


 Os dias de Outono terminavam assim...

Eu ainda vestida com os trapos do Verão, encostada a uma parede qualquer de olhos fechados.

O Sol ainda quente temperado com a brisa fria da maresia
Os cabelos pegados ao corpo
o corpo encostado à parede quente
o corpo ainda quente
o Sol ainda quente
a parede ainda quente

eu encostada à parede ainda quente

de olhos fechados no quente do quente que só existe no Outono
no terminar dos dias de Outono
o quente do frio singular do Outono...

Continuo de olhos fechados
a camisa aberta
o Sol entrando lentamente no peito compensando-me da ausência constante de ti

De ti, que és o frio no que de mais quente há em mim...

 sophiarui 
(photo Elizabeth Taylor) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

2.6.15


Há momentos em que desejo fazer o tempo voltar e apagar toda a tristeza, mas eu tenho a sensação de que, se o fizesse, também apagaria a alegria. Assim revivo as memórias da forma como vêm, aceitando todas elas, deixando que me guiem sempre que possível. Isso acontece com mais frequência do que as pessoas percebem. 

  Nicholas Sparks
(photo Jean-Luc Godard & Anna Karina)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

1.6.15


Aponta-dor. 

Escorrego:
escorre ego, escorre...

Eu deixo ir,
eu lavo a alma,
eu rego as flores 
que moram em mim.

Aponto as dores,
descubro novas cores,
aponto o grosso
grafite que sou.

Rabisco leve, 
deslizo, danço,
fino escreve quem usa apontador.

Larissa Minghin
(photo Jean Muir)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨