"A todos os visitantes de passagem por esse meu mundo em preto e branco lhes desejo um bom entretenimento, seja através de textos com alto teor poético, através das fotos de musas que emprestam suas belezas para compor esse espaço ou das notas da canção fascinante de Edith Piaf... Que nem vejam passar o tempo e que voltem nem que seja por um momento!"


31.5.15


Quantas pessoas teriam começado a amar-se, se se tivessem visto primeiro como nos vemos ao fim de muitos anos? Mas quantas também se poderiam separar, se se voltassem a ver como se viram pela primeira vez? 

  Camille Laurens
(photo Paul Newman & Joanne Woodward)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

30.5.15


E pronto 

 Agora não. Talvez daqui a uma hora, amanhã, depois de amanhã, mais tarde, mas agora não. Agora aguen­ta-te, finge que és forte, sorri ou, pelo menos, puxa os cantos da boca para cima: se mantiveres os olhos secos vão pensar que é um sorriso. 

  António Lobo Antunes 
(photo Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

29.5.15


Comigo não existe ''da boca pra fora''. Tudo em mim acontece cá dentro. Se eu gostar de você, será real. E se eu te disser isso, é porque realmente gosto. Mentira é traje que não me cabe. Sou pura transparência. Sou coração até a cabeça. Minha verdade é dessas com olhos nos olhos, sabe? 

  Gabriela Castro
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

28.5.15


Transparência (ou Empatia) 

Cruzamos caminhos. Dividimos calçadas. Desfilamos, uns para os outros, nossas cores, nossas dores. Pensamos ser invisíveis mas na verdade somos transparentes. Que olho não vê, que toque não sente, que coração não adivinha o que eu carrego tão exposto, à flor da pele, à beira do olho? Só tu que não me vês, que não me olhas. Coragem! Perceba... veja: essas cores, essas dores tão minhas, não são, acaso, tuas também? É teu espelho essa ânsia, esse grito, que escondo atrás do sorriso velado. Reconhece, então, nas minhas as tuas próprias cores e dores. Apesar do meu disfarce, por favor, não finjas que não me vês. 

  Dalva Nascimento 
(photo Brigitte Bardot)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

27.5.15


Me chamam de exigente, mas não sou. Só quero alguém que tenha a mínima capacidade de fazer o óbvio, no caso gostar de mim. Mas de mim, não do que pode obter de mim. Meu anúncio só diz que sou engraçado, romântico, gentil, tarado, fiel, inteligente, carente, descrente, desesperançado, desesperado. Essas coisas que ficam na última gôndola do mercado de amores. 

  Gabito Nunes 
(photo Marlon Brando)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

26.5.15


O remédio para o sofrimento não é deixar de sofrer, é ter com quem reparti-lo. Não sofrer é uma impossibilidade, dividi-lo é empreendimento do amor. Descobrir que alguém sente nossa ferida é o caminho para curá-la, porque a dor se dilui nos corações envolvidos. Quem tem companhia anda pelo vale da sombra da morte sem temer.

  Lucas Lujan
(photo Mel Ferrer & Audrey Hepburn)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

25.5.15


Como uma Penélope 

Passou os dias a fazer um grande tapete de trapos
tecido de lãs velhas, uma encruzilhada
de cores
para prosseguir esperava 
que a manhã  as desfizesse
as estrelas, do tecido da noite.

 J.T.Parreira
(photo Mary Pickford) 

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

24.5.15


Retoque a maquiagem, alargue sua visão, apresse-se para esperar o próximo amor que será também definitivo, enquanto durar, pois somos todos inquilinos no coração das pessoas. Nosso sentimento é temporário, nosso amor é inquilino. 

  Ita Portugal
(photo Marceline Day)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

22.5.15


Dor 

A dor
Que te vai na Alma
Não a sufoques. Não a reprimas
Sê misericordioso para com ela

Chora-a

Dor chorada. Dor vencida. Dor sublimada
Tem o conhecimento dos Deuses
Que os anjos almejam saber

João Cardoso
(photo Paul Newman) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

21.5.15


A Vita 

Talvez seja só um ballet
perante alguém que nos olha
com afecto, a vida. Um passo de dança
antes de anoitecer, como o que vejo
sem ser visto pela janela do piso térreo
ao regressar de uma volta pelo campo:
olho e és tu a ensaiar a função 
de vestido comprido diante da tua mãe.
Dança dança, não te enganes no pé
dança como a folha que não cede
ao vento, dança ao de leve.

Alberto Nessi 
(trad. Albino M.)
 (photo Helen Hayes Brown)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

20.5.15


Palavras de um avestruz todo gris

Arrancam-me as penas
e eu sofro sem dizer nada:
- Sou ave
bem educada.

E, se quisesse,
podia
morder-lhes as mãos morenas,
a esses
que sem piedade
me roubam estas penas que me cobrem;
e, no entanto,
sem o mais breve gemido,
o meu corpo
vai ficando...
Desguarnecido...

E elas,
aquelas
que se enfeitam, doidamente,
com estas penas formosas
- que são minhas!
passam por mim, desdenhosas
em gargalhadas mesquinhas.

Sim; eu sofro sem dizer nada:
- Sou ave
bem educada.

António Botto 
(photo Marilyn Monroe) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

19.5.15


O sonho acabou 

Quebra o copo
raspa a panela
risca o nome
fecha a janela
encerra a conta
acenda a vela
acorda do sonho. 

Não há vida paralela.

 Amélia de Morais
(photo Sophia Loren) 

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

17.5.15


Despertar 

O telefone é um susto.
Do outro lado da linha
Alguém articula um bom-dia
rouco de pedra.
Engano
Eu não moro mais aqui

 Eudoro Augusto
(photo Marilyn Monroe)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

16.5.15


 Quem diante do amor
ousa falar do Inferno?

Quem diante do Inferno
ousa falar do Amor?

Ninguém me ama
ninguém me quer
ninguém me chama
de Baudelaire

Isabel Câmara
(photo Harold Lloyd & Mildred Davis) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

15.5.15


Silêncio: Para ouvir alto. 

 O silêncio é a mais perfeita forma de música. Nele eu me escondo, me encanto e pernoito as palavras que te irão encontrar. O silêncio é a minha obsessão, a minha forma de te escutar. Eu sei que estás aí, que me ouves e me percebes. Sei que sentes os meus silêncios. Eles são os teus também. 

  Pedro Abrunhosa
(foto Alma Taylor)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

14.5.15


Três Coisas

Não consigo entender 
O tempo 
A morte 
Teu olhar 

O tempo é muito comprido 
A morte não tem sentido 
Teu olhar me põe perdido 

Não consigo medir 
O tempo 
A morte 
Teu olhar 

O tempo, quando é que cessa? 
A morte, quando começa? 
Teu olhar, quando se expressa? 

Muito medo tenho 
Do tempo 
Da morte 
De teu olhar 

O tempo levanta o muro. 

A morte será o escuro? 

Em teu olhar me procuro. 

Paulo Mendes Campos
(foto Elizabeth Taylor) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

13.5.15


Dorme, que a Vida é Nada! 

Dorme, que a vida é nada! 
Dorme, que tudo é vão! 
Se alguém achou a estrada, 
Achou-a em confusão, 
Com a alma enganada.

Não há lugar nem dia 
Para quem quer achar, 
Nem paz nem alegria 
Para quem, por amar, 
Em quem ama confia.

Melhor entre onde os ramos 
Tecem doceis sem ser 
Ficar como ficamos, 
Sem pensar nem querer, 
Dando o que nunca damos.

 Fernando Pessoa 
(foto Jean Seberg)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

12.5.15


 agora nesta hora inocente
eu e a que fui sentamo-nos
na soleira do meu olhar

Alejandra Pizarnik 
(foto Marisa Berenson) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

11.5.15


Teatro de sombras

Alguém joga xadrez com minha vida,
alguém me borda do avesso,
alguém maneja os cordéis.
Alguém me inventa e desinventa
como quer:
talvez seja esta minha condição.

Alguém dirige o teatro de sombras
no qual fui ré sentenciada.
Finjo entender de tudo:
ando de um lado para o outro,
faço gestos com as mãos,
cuspo as sementes do fruto
entalado na garganta
com um grito: alguém aí pode me ouvir?

Ninguém reage, ninguém tenta aplaudir:
nesse reino todos usam disfarces,
menos a solidão.

 Lya Luft 
(foto Jean Patchett )

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

10.5.15


(...) A vida quer da gente é peito aberto, coragem e a cara para bater. Mãe, minha cara está dormente, mas não desisto não. Eu tropeço tantas vezes e tantas me reequilibro de novo. Mãe, eu mato a barata com medo mesmo. Eu desafio a esfinge com medo mesmo. Eu encaro o dragão com medo mesmo. Do jeito que sei e posso. Obrigada por não ter criado uma princesa (...)

  Maria Gabriela Verediano 
(foto Ann-Margret) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

9.5.15


Pequeno Poema

Quando eu nasci, 
ficou tudo como estava. 

Nem homens cortaram veias, 
nem o Sol escureceu, 
nem houve estrelas a mais... 
Somente, 
esquecida das dores, 
a minha Mãe sorriu e agradeceu. 

Quando eu nasci, 
não houve nada de novo 
senão eu. 

As nuvens não se espantaram, 
não enlouqueceu ninguém... 

Pra que o dia fosse enorme, 
bastava 
toda a ternura que olhava 
nos olhos de minha Mãe... 

Sebastião da Gama 
(foto Elizabeth Taylor & Liza Todd)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

8.5.15


âmago 

(ventre
nau caleidoscópica
de vir a ser)

potência em latência
crua
grela em cada entranha
de ela ,
algo que não existia.

e germina ou floresce
e vem a parir
nua
porque fazer surgir
é desfazer-se do acaso
desde o Início
com 1´nome
.
.
.

Filho

Ana Paula Perissé
(foto Mia Farrow)

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

7.5.15


Estamos equivocados 

Estamos equivocados,
nunca fomos iguais,
tu és teimoso e eu dócil.
Há que penetrar,
adentrar-se demasiado
no que tu insinuas,
mas esse é um modo de te perder.
O segredo é não tentar que fiques.
Não somos iguais, poema,
tu desistes, eu ardo.

 Zoé Valdés
(foto Gordon MacRae & Doris Day) 

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

5.5.15


Flores Incandescentes 

Como um rio ele molha as flores do meu vestido,
e em suas águas me convida a mergulhar.
Meu corpo se aquece,
meus pensamentos se incendeiam,
ao seu doce sussurrar...

Suas doces carícias são ondas suaves
que embalam e fazem desabrochar
as flores molhadas do meu vestido,
que nessas águas de rio,
logo se deixam levar...

Rosa Clement
(foto Lori Dennis)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

4.5.15


Ave, Maria 

Quando é ave 
é poesia
Ave, Maria cheia de cor
ave de espaço, de fé na vida
Ave, alegria cheia de amor

Ave Maria
e o canto ecoa
ave que voa

Ave Maria, cheia de árvore
invade a minha casa,
meu corpo e eu, em ventania
ergo a mão em prece
Ave Maria cheia de amor
no jardim que colore o dia

Ave Maria, cheia de sol
que brilha, 
que contagia com seu calor
Ave, Maria cheia de tanto
meu canto é seu
Ave Maria cheia de flor

 Mariana Gouveia 
(foto Elizabeth Taylor)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

2.5.15


O áugure 

Sou um prisma às avessas
as cores em mim se confundem
sou um tapete de ecos
uma cachoeira de gritos
uma cordoalha de muitos tempos

A esfera de lantejoulas
- passado presente futuro -
roda refletindo mil sóis

Sou essa colméia de incêndios
essa assembléia de sinais
esse rumor insone

Hélio Pellegrino
(foto Tamara de Lempicka) 

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

1.5.15


 Ela só queria desabotoar os sonhos
revelar em tons de sépia a sua natureza envelhecida
respirava em longas escaladas
diamante puro

Ela só queria 
desnudar-se 

Flor de sal 
(foto Loretta Young)

 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨